Follow by Email

quinta-feira, 17 de março de 2011

Educar, é algo mais


Educar é mais do que, orientar os passos de outrem, transmitir conhecimentos ou amar. O amor não basta para educar um indivíduo para a sociedade. Partindo do princípio, que toda mãe ama o seu filho, e o quer triunfando em suas ações, resta saber se, toda mãe entende o suficiente de educação social.  Em uma família, os filhos tem os pais como exemplo espelho de conduta e de educação, que poderá ser, o reflexo em seu comportamento futuro.
Os filhos de um casal de delinquentes,  poderão perceber que seus pais ganham a vida com facilidade, roubando ou enganando os outros (aplicando golpes), mais do que perceber é serem obrigados a ajudá-los em seus atos ilícitos. Não podemos afirmar que esses pais não amem seus filhos, nem que os mesmos não os eduque; o fato é que eles não tem conhecimento de uma educação para a vida em sociedade. Essas crianças ingressam nas   escolas como qualquer outra criança, mas são sempre reservados – com poucos amigos e falam pouco. Irritam-se com facilidade –  qualquer palavra de ofensa tomam para si, e partem para briga. Pensam pouco, agem por impulsos – de ímpetos, pois dizem não levar desaforo para casa – os pais o ensinaram assim. O filme de Danny De vitor traz uma história interessante de uma garota (Matilda) muito inteligente, que contrariando os pais, é honesta e percebe o quanto seus pais são desonestos, pois vivem de falcatruas e não querem saber, se os filhos estudam, pois não estudaram e se consideram espertos. O irmão de Matilda, ajuda-os em seus atos ilícitos.
 A preocupação de algumas escolas particulares é que seus alunos conquistem as instituições educacionais superiores públicas, por ostentarem um grau de dificuldades para o ingresso de seus acadêmicos; fato estampado nos outdoor da cidade, mostrando essas conquistas, enquanto as escolas públicas, preocupam-se em prestarem contas com a carga horária. Assim, vamos assistindo de braços cruzados os altos índices de violência nos meios de comunicação de massa, envolvendo pessoas de uma mesma família, na prática de assaltos, tráficos, latrocínios e muitos outros dados da violência, que parece não ter fim. Difícil é saber quem ganha com isso, além dos programas sensacionalistas.
No decorrer desse artigo, ouvia-se na TV Jangadeiro: “Casal é preso com uma quantidade significativa de Cocaína”. A droga era armazenada na geladeira da casa do casal.  Como educar os filhos de um casal de traficantes ou de desonestos para a vida em sociedade. Como dizer que as ações dos pais são erradas, se eles ouvem dos pais que é o único meio de ganhar dinheiro para sustentar a família, pois o emprego de um salário não é o bastante para pôr pão na mesa, e, que tem muita gente roubando e a  culpa é da política salarial do País.  No entanto, em meio a três filhos de casais deliquentes, um, poderá portar um senso crítico,  se empenhar nos estudos e ter uma vida completamente diferente dos demais membros de sua família, tal como o exemplo da Matilda (o filme). Enquanto isso, os outros fazem parte dos números da evasão escolar, perfazendo também os grupos de saqueadores, traficantes, assaltantes etc.
São muitos, os fatores que levam um jovem deixar os estudos, ainda no fundamental: indisciplina – por má-educação; Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade, dislexia, discalculia, outros distúrbios de comportamento e funcionais – orgânicos, problemas familiares e a facilidade do contato com o mundo das drogas. Podemos dizer que o nosso País, ainda espera por uma educação de qualidade, educação para a vida, onde um aluno de escola pública possa ser capaz de galgar, com justiça, os melhores lugares, nos vestibulares (ENEM) e nos concursos públicos. Porém, para isto não basta ter livros gratuitos e professores, mas uma boa alimentação, pais conscientes e modelo de uma sociedade mais justa. 
Maria Ednar de Sousa Façanha

Pedagoga – Esp. Psicopedagogia / Saúde Mental / Avaliação Psicopedagógica.



           


Nenhum comentário:

Postar um comentário